Escrever é como uma dádiva. É como aquele passarinho que voa sem nenhum objetivo, que faz piruetas, passa por lugares distintos e pinga aquele ponto final todo orgulhoso.
Por isso escrever é como voar. A sua mente viaja, levando seu corpo e você não sabe onde vai parar, nem como.

terça-feira, 26 de abril de 2011

Sucinto

Às vezes pego minha caneta e meu papel, borro algumas coisas entre as linhas e depois apago tudo. Queria poder botar isso na minha vida. Borrar algumas vezes e depois apagar, como se nada tivesse acontecido.
É por isso que papéis são mais do que simples folhas. E as linhas, mais do que alguns alongamentos finitos. Cada letra que se projeta aos poucos sobre estes, traduzem um sentimento, uma vida, uma opinião.
Por isso, se tudo o que eu pensasse fosse manuscrito, sairia de uma forma mais clara do que se fossem ditas.
Poeta, escritor, ou um simples amante da escrita são assim, objetivos no papel, às vezes confuso na fala e com a cabeça cheia de histórias... Seria preciso um livro para contá-las aqui.

2 comentários:

  1. Dia-a-dia, sou salva pelas palavras.

    ResponderExcluir
  2. ah, como seria fácil apagar as coisas erradas né, rs

    ResponderExcluir